18 October 2008

O Perfume do Abismo



Nómada no infinito de uma cidade e de uma Noite

solto uma insinuação ao silêncio

simples

envolta em ironia

ou precipitado, uivado mistério...

Sinto uma alquimia que ninguém mas ninguém sente...

Presto culto à imensidão do céu

e da língua ingreme da luz

num abandono deslumbrado...

E o olhar caminha nas cinzas

entre cores, sedosos tecidos,

pequenas fibras de água...

Espero um leve sopro das palavras

e o perfume do abismo...


4 comments:

  1. Eu delicio-me a ler as tuas palavras.... Uma língua uivada e sedosa que nos sopra num silêncio envolvente...

    Blood Kisses

    ReplyDelete
  2. Voltei das cinzas para te deixar uma lembrança, que está no meu blog, para ti.

    Blood Kisses

    ReplyDelete
  3. Witch,
    Acabo por ler este poema de cada vez que aqui venho, e de cada vez lhe vejo mais do que "meets the eye". É simples e contudo não se esgota, uma boa combinação.
    Venham mais.

    Um beijo,
    Gotik Raal

    ReplyDelete